Comunicação . Interatividade . Inovação

Rápida reflexão sobre prazo e qualidade de serviço

Cliente: – “Eu preciso desse sistema para minha empresa!”
Desenvolvedor: – “Claro. Eu preciso de dois meses para desenvolvê-lo.”
Cliente: – “Nunca! Preciso disso para uma semana.”
Desenvolvedor: – “Está bem. É você quem decide sobre o resultado esperado.”

Este cenário e mais comum do que se imagina. Provavelmente você já passou por isso, ou conhece alguém que teve experiência semelhante, seja qual for o lado.

A qualidade de um serviço pode depender, diretamente, do tempo do seu desenvolvimento. Por esse motivo, o prazo é inegociável. Bom, ao menos é assim que deveria ser.

É comum e natural que o cliente não conheça o processo de desenvolvimento de um determinado serviço, então, entende que um projeto pode ser entregue num prazo muito menor do que o apresentado. Nestes casos, em que o tempo para a execução comprometer a qualidade, a insistência deve ser confrontada com argumentos consistentes e com os devidos “porquês” das coisas. É nesse ponto que muita gente acaba errando, pois discutir o prazo pode implicar em perder o negócio. Portanto, apresentar os motivos demanda conhecimento, domínio sobre a tecnologia, diálogo aberto, ótima comunicação e coragem! Coragem? Sim! Afinal, fechar ou não o contrato pode ficar em risco. Mas saiba que um “não” ético e responsável poderá se converter em credibilidade e vários “sims” no futuro.

O diálogo acima foi adaptado desse tweet, que contém um pequeno vídeo (que motivou este post) sobre a relação entre prazo e qualidade. Veja a diferença no resultado do mesmo “projeto” feito em 10 minutos, 1 minuto e 10 segundos.

Sobre o autor
Analista Web/Sistemas formado pela Universidade UniFil em Londrina/PR; MBA em Marketing Digital e Gestão de Projetos Web; blogueiro, youtuber e desenvolvedor de sistemas. Me encontre no Twitter - @DanielAccorsi